Abelha capixaba em risco de extinção pode ajudar a recuperar florestas no Espírito Santo

Você sabia que o Espírito Santo têm uma abelha nativa? E que essa espécie pode ajudar a recuperar florestas inteiras? Esse é o objetivo do Projeto Uruçu Capixaba, que também visa a preservação da espécie de abelha nativa, que tem um papel importante na polinização e conservação do bioma. A Melipona capixaba, conhecida popularmente como “uruçu negra”, “uruçu preta” ou “uruçu-capixaba”, atualmente corre risco de extinção.

A iniciativa é do Instituto Brasileiro do Mar (Ibramar), visando proporcionar medidas integradas de restauração florestal que irão permitir traçar estratégias de conservação das abelhas nativas, com destaque para a “uruçu-capixaba”. A ação engloba desde o plantio de mudas nativas e melíferas até a revitalização de nascente e implantação de caixas secas para contenção da erosão nos córregos locais.

O projeto Uruçu Capixaba inclui ainda uma campanha de conscientização dos agricultores rurais e estudantes locais, através de cursos de capacitação e educação ambiental. Serão realizadas visitas técnicas nas comunidades abrangidas pelo projeto, onde os participantes aprenderão a identificar as principais espécies de meliponas existentes na região. Também será disseminada a cultura de redução de defensivos agrícolas, com uso de técnicas sustentáveis que não eliminem as abelhas nativas.

Lançamento

O evento de lançamento oficial do Projeto Uruçu Capixaba acontece na próxima sexta-feira (16), às 14 horas, no Centro de Referência em Assistência Social (CRAS) de Ponto Alto, em Domingos Martins, na região de montanhas do Espírito Santo. O projeto será desenvolvido na RPPN Uruçu Capixaba, e nas comunidades de São Bento do Chapéu e Paraju (comunidade Recanto Feliz), todas no município de Domingos Martins.

Sobre a Melipona capixaba

Em maio de 2003, o Ministério do Meio Ambiente, através da Lista de Espécies da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção (Instrução Normativa nº 3, de 27 de maio de 2003) considerou a espécie como ameaçada de extinção. O desmatamento é citado por diversos autores como a principal fonte de ameaça para abelha em seu ambiente natural, uma vez que a espécie depende de árvores para a sua nidificação, especialmente árvores mais velhas com troncos adequados à instalação dos ninhos, além da redução nas fontes de alimento (pólen e néctar).

A perda de habitat pela destruição da vegetação e a extensiva coleta do mel para consumo imediato – e também a criação para a produção artesanal – representam ainda um sério risco para a sobrevivência da espécie nativa da região. A Melipona capixaba não se mantém em altitudes mais baixas que 600 metros, especialmente em regiões com temperaturas mais quentes, mesmo quando manejadas de forma adequada.

Já foram realizadas tentativas fracassadas de manutenção de colônias nos municípios de Guarapari, Marataízes e Vitória, no litoral capixaba, e também em áreas mais quentes do município de Santa Teresa, na região central do Espírito Santo, demonstrando alta vulnerabilidade da espécie ao clima.

SERVIÇO:

Evento de lançamento do Projeto Uruçu Capixaba

Local: CRAS de Ponto Alto, localizado na Rua Dorotéia Maria Hand, Parque Ecológico do Ponto Alto, Domingos Martins.

Data: 16 de março

Horário: 14 horas

Fonte:Folha Vitoria em 12-03-2018



Leia Mais:


SIGA NOS