É lenha, artigo de Cristiano Cardoso Gomes

A cada dia é mais fácil ser seduzido pelos apelos às questões ambientais. Nossos filhos são muito mais conscientes do que é bom ou ruim para o ambiente. Entre o bem e o mau muitas coisas foram sacadas como constituintes do mal dentre elas: o consumo de petróleo, a não reciclagem, a garrafa pet e ultimamente a sacola plástica.

Nossa busca em definir o que é bom ou ruim se compara a uma novela de mocinhos e bandidos. De vez em quando a madeira e, sobretudo a lenha, encena como ator principal para uns e como coadjuvante para outros.
Já escutei uma dúzia vezes dizerem que a lenha não é fonte renovável, que usa-la é promover o desmatamento, que é um crime.

Existe defesa para tudo nesse mundo, assim como existe grupo, comunidade e guetos para tudo, ou quase tudo, pois nunca vi nada para a lenha que é um figurante das insolentes escorias e dos mais desprezíveis sentimentos atuais, onde recaem tantas acusações. Para muitos, a lenha é condenada mesmo sem julgamento, isso de fato é lenha.

É lenha, que o produto de uma árvore que nasce, cresce e morre, não seja classificado como fonte renovável. Mais lenha ainda é ter de escutar de gente dita “estudada” a afirmação de que as indústrias que usam lenha sejam atrasadas tecnologicamente, e que estas precisam mudar a matriz energética. É surpreendente que estados rasguem a terra por centenas de quilômetros para canalizar fontes de energia que apenas enriquecem as grandes companhias. É lenha desprezar a capacidade de crescimento de nossas florestas, e insano não perceber os avanços de nossa silvicultura. É lenha ver um finlandês esperar 80 anos para colher uma árvore e investir bravamente na atividade, enquanto nossas terras ofertam madeira com 5 a 8 anos e não há investimento suficiente. É ultrapassado não investir no desenvolvimento local, porém, o que se faz ao não estimular o uso sustentável das florestas ou a formação destas, é não estimular o desenvolvimento local.

Num mundo que diz discutir os serviços das florestas, parece insano quando se risca terras, investem-se milhões e não se estimula o manejo das florestas nem a formação de plantios florestais. É lenha, que mesmo tendo conhecimento, tecnologia, solos propícios e condições climáticas, até mesmo os ditos ambientalistas não considerarem a lenha um combustível renovável.

É lenha, ver milhares de pessoas na clandestinidade, ou sendo pautado como agressores ambientais, quando estes estão buscando a sobrevivência e demonstrando ao estado que existe uma vocação florestal a qual necessita de investimentos e de assistência técnica especializada. No nordeste diferentes estudos já mostram que a lenha é a fonte mais barata para produção industrial. É triste que não haja nenhuma bancada, e talvez deputado que defenda a lenha como fonte de energia renovável. É a lenha que fornece cerca de 30% da energia consumida no nordeste. Lamento que os combustíveis fósseis avancem, e que a lenha seja tratada como não renovável e com motivo de perseguição.

É lenha escutar que a indústria é sustentável porque usa gás GLP, e que o gás natural é energia limpa. É estarrecedor que esse tipo de afirmação venha de ditos especialistas e de salvadores do planeta. É estupido tratar empresas que usam lenha como atrasadas e não sustentável.

A lenha é uma fonte de energia de base renovável. Para tanto basta manejar florestas ou fazer plantios. Lenha pode ser sustentável quando manejamos florestas. É preciso que essa importante fonte de energia seja respeitada, pautada e considerada como fonte primária, e não se busque cobrir o sol com a peneira e marginalizar quem a usa ou a produz de forma sustentável.

Da mesma forma que um fruto é colhido, uma árvore também pode ser. Para isso não deveria haver histeria, protesto ou lamentação. A sociedade precisa que árvores sejam colhidas. Quando uma árvore é cortada e transformada em lenha ou carvão, um bem que foi nos dado está sendo aproveitado. Todavia, não se deve esquecer que essa coleta seja proveniente de manejo florestal sustentável ou plantio.

Quando se associa eficiência energética e bases sustentáveis, a lenha é uma fonte renovável, social e sustentável. A lenha é um dos poucos combustíveis que tem a capacidade de gerar emprego e aquecer a economia local. É por isso que lenha é lenha, uma baita fonte renovável de energia que precisa estar presente no discurso dos cidadãos e ambientalistas. Espero que um dia haja um movimento em prol da lenha.

Fonte: Cristiano Cardoso


Leia Mais:



SIGA NOS

-->