Especialista destaca problemas de transposição de bacias*

Transferência de águas pode afetar o ecossistema do rio

O coordenador da Fundação Cebrac (Centro Brasileiro de Referência e Apoio Cultural), Maurício Galink, considera o projeto de transposição do rio São Francisco apressado. 

"Deviam ser observadas outras alternativas, como a utilização de águas subterrâneas por meio de poços, antes de interferir no sistema fluvial", observa Galink. 

Segundo ele, fazer transposição de bacias é algo complexo pois afeta a vida de milhares de pessoas que dependem do rio, além de alterar o equilíbrio ecológico local. 

Primeiro, haveria o risco do mar penetrar para dentro do rio, adquirindo maior força conforme se retira água doce. 

"Depois, mexer num rio não é a mesma coisa que levar água encanada para uma casa. O rio é um corpo vivo que contém milhares de microorganismos. Ao levar água de uma bacia para outra podem ser transportadas espécies de peixes que acabam com as espécies nativas de outra bacia", afirma Galink.

Fonte: Portal IG em 20/09/2000 por Heloisa Ribeiro, repórter iG em São Paulo ([email protected]

 
Velho Chico     Associe-se
 

Rodapé