NIM (Azadirachta índica) Pode Causar Redução de Peso

Por Laudemar de Amorim.

Trabalho publicado pela Dra. Sueli Souza Martinez*, divulgado no V Curso sobre Produção e Utilização do Nim na Agropecuária realizado na UNESP/Jaboticabal-SP, declara textualmente: “O uso de torta ou folhas de Nim para alimentação do gado mostra resultados variáveis, às vezes causando redução de peso”.

O uso continuado do Nim, principalmente das folhas moídas nas rações e suplementos dos bovinos, precisa de pesquisas confiáveis o mais urgnete possível, antes que as frustrações de alguns resultados de campo venham a desacreditar esta planta que tantos benefícios pode trazer para a produção animal e em especial para a produção animal orgânica.

Por este motivo, transcrevemos partes dos trabalhos da Dra. Sueli Souza Martinez* e complementamos com novas informações que poderão auxiliar nossos Clientes a adotarem esta planta de maneira mais eficaz e segura possível.

Modo de Ação

A ação dos extratos de nim sobre insetos é bastante variável de espécie para espécie. Há registro de ação sobre mais de 300 espécies. A maior parte das investigações foi feita em laboratório, sendo necessários mais estudos para poder se determinar com maior segurança quais as pragas pode controlar, as doses, freqüência de aplicação, etc.

De modo geral a azadiractina afeta o desenvolvimento dos insetos de diferentes modos. Pela sua semelhança com o hormônio da ecdise (processo que possibilita ao inseto trocar o esqueleto externo e, assim poder crescer), perturba essa transformação e, em altas concentrações pode impedí-la, causando a morte do inseto. Por essa razão, as formas jovens de insetos são mais fáceis de controlar. Não causa a morte do inseto imediatamente, dado o seu efeito fisiológico, porém, além de afetar a ecdise, reduz o consumo de alimento, retarda o desenvolvimento, repele os adultos e reduz a postura nas áreas tratadas. Também tem maior ação por ingestão, de modo que os insetos mastigadores são mais facilmente afetados.

As espécies mais facilmente controladas são as lagartas, pulgões, cigarrinhas, besouros mastigadores. Resultados de pesquisa do IAPAR mostraram efeitos letais e deformidades em larvas e pupas de lagarta-do-cartucho do milho, curuquerê do algodoeiro, ácaros e bicho-mineiro, cochonilhas e redução de postura em bicho-mineiro, broca-do-café e mosca branca. Em testes com a joaninha, inimiga natural de pulgões, extratos de nim não causaram morte dos adultos e sua ação sobre as larvas foi mediana para uma espécie e inócua para outra, não reduzindo sua voracidade, o que comprova seu potencial para uso em associação com inimigos naturais contra as pragas.

O uso de folhas misturadas ao alimento do gado ou a aplicação de extratos das folhas ou sementes no dorso dos animais tem sido indicado para controle de carrapato e mosca do chifre. No Brasil se usam 5l de solução a 2% do óleo emulsionável ou 2,5-5% do extrato da folha, por animal. O óleo também pode ser encontrado na forma pour-on, indicando-se 10 ml/100kg peso vivo de animal.

Nos países onde o óleo é extraído também se prepara a pomada, feita com os resíduos da extração do óleo, que pode ser utilizada no controle de sarna em animais e outras infecções da pele.

Preparo de Extratos

Os extratos podem ser preparados com a simples trituração das sementes ou frutos frescos, em água, deixando-se a mistura descansar por 12 horas, filtrando-se o líquido e pulverizando-se sobre as áreas infestadas. O mesmo procedimento pode ser usado para folhas, frescas ou secas, embora a azadiractina aí ocorra em menor concentração.

O óleo inseticida é extraído pela prensagem das sementes, obtendo-se no máximo 47% de óleo, que contém cerca de 10% da azadiractina existente no fruto. A torta restante é, pois, muito rica em azadiractina, tem efeito nematicida e serve como adubo orgânico. Pode, também, ser secada e utilizada posteriormente para preparo de extratos inseticidas, em mistura com água e filtração.

Para se armazenar sementes para preparar o extrato posteriormente, os frutos devem ser colhidos, secos ao sol por dois a três dias, e mais uns dois dias à sombra por dois dias e despolpados manualmente em água ou utilizando-se despolpadeira semelhante a de café. Deixa secar bem e armazena, de preferência a baixa temperatura. As sementes que serão plantadas podem ser preparadas da mesma forma.

Doses

Ainda não há informações detalhadas sobre doses específicas para cada inseto. Entretanto, de modo geral, as seguintes doses têm apresentado eficácia no controle principalmente de pragas de hortaliças:

· Óleo emulsionável: 5 ml/litro água

· Sementes secas: 30 a 40 g /litro água

· Folhas secas: 40 a 50 g / litro água

USO DO NIM NA PRODUÇÃO ANIMAL:

No Brasil se usa uma solução a 2% do óleo emulsionável ou 2,5 a 5% do extrato da folha para pulverizar ou imergir o animal por alguns segundos, tem se mostrado eficaz no controle de carrapatos, piolhos, pulgas, sarnas e outros distúrbios da pele. .

Ensaios recentes na pulverização em animais, tem demonstrado que a inclusão de 1% de álcool no momento de preparar a solução com folhas moídas, sementes secas ou torta em imersão e 0,1% de óleo mineral após filtrar a solução, aumentam a eficácia.

A utilização através da ração ou suplemento, pode ser adotada durante 3 a 5 dias com intervalos de 45 a 60 dias com resultados positivos no controle de vermes e eimérias.

O uso por períodos mais prolongados em animais em reprodução, deve ser levado em conta que pode haver interferência na eficiência reprodutiva, no crescimento do feto e na ocorrência de aborto, podendo inclusive produzir uma redução de peso do animal.

Bibliografia sobre Nim

· Brechelt, A. & C. L. Fernandez. 1995. El Nim. Un Árbol para la Agricultura y el Medio Ambiente. Experiencias en la Republica Dominicana. Fundación Agricultura y Medio Ambiente, Amigo del Hogar, San Cristobal, Rep. Dom., 133 p.

· Carvalho,S.M. & D. Trevisan. 1990. Santa-bárbara contra a vaquinha. Ciência Hoje. Tome Ciência 11(65): 65-67

· Depieri, A.R. & S.S. Martinez. 2002. Neem, Azadirachta indica A. Juss., oil effects in the mealybug Planococcus citri (Risso, 1813) (Hemiptera: Pseudococcidae). 19o Congr. Bras. Entomologia, Manaus, junho 2002, Resumos, p. 136.

· Leal A.C., A.L.M. Ramos, J.P. Pereira & S.S. Martinez. 2000. Enxertia intergenérica entre neem (Azadirachta indica A. Juss )e cinamomo ( Melia Azedarach L.).6ª International Congress & Exhibition on Forestry. Instituto Ambiental Biosfera, Silvicultura: 127-128

· Martinez, S. S. 1996. Effects of sublethal doses of azadirachtin on the development of Spodoptera littoralis. Ph.D. thesis, University of Reading, England, 250 p.

· Martinez, S.S. 2002 (ed.) O Nim - Azadirachta indica - Natureza, Usos Mútiplos, Produção. Londrina, IAPAR, 142 p.

· Martinez, S.S. & A.M. Meneguim. 1999. Reduction of egg laying and egg survival of Perileucoptera coffeella caused by neem oil. The Neem World Conference, Canada, 18 a 21, May -1999.

· Martinez, S.S. & H.F. van Emden. 2001. Growth disruption, abnormalities and mortality of Spodoptera littoralis caused by azadirachtin. Neotropical Entomology, 30 (1): 113-125.

· Martinez , S.S. & H.F. van Endem., 1999. Sublethal concentrations of azadirachtin affect food intake, conversion efficiency and feeding behaviour of Spodoptera littoralis (Lepidoptera: Noctuidae). Bulletin of Entomological Research, 89: 65-71.

· Martinez, S.S., J.de Lima & A.L.Boiça Jr. 1998. Avaliação agronômica e fitoquímica de neem , Azadirachta indica de diferentes procedências em vários locais das regiões Sul e Sudeste do Brasil. XVII Congresso Brasileiro de Entomologia, 9-14/8/1998. Sociedade Entomológica do Brasil, resumos. p.831.

· Meneguim, A.M & S.S. Martinez. 1998. Avaliação da eficiência de neem (Azadirachta indica) para o controle de ácaros. XVII Congresso Brasileiro de Entomologia, 9 a 14/8/1998. Sociedade Entomológica do Brasil, Resumos. p. 1053.

· Schmutterer, H. (ed.). 1995. The Neem Tree Azadirachta indica A. Juss. and Other Meliaceous Plants. VCH, Weinheim, 696 p.

· Silva, F.A.C., S.S. Martinez & A.M. Meneguim. 2001. Ação do Nim, Azadirachta indica A. Juss, na sobrevivência e desenvolvimento do predador Cycloneda sanguinea (L.) (Coleoptera: Coccinellidae). II Simpósio de Pesquisa dos Cafés do Brasil, Resumos, p. 131.

Rodrigo Studart Corrêa
Caixa Postal 10.814
CEP: 70.324-980 Brasília/DF
Brazil

Leia Mais:

Outros documentos     Associe-se