Máquinas e operários  entrarão em terras indígenas durante obra

Além disso, a construção do rio pode acabar tomando parte de reservas indígenas, principalmente a dos índios Truká

BRASÍLIA - A forte movimentação de máquinas e operários não afetará só as cidades próximas. Muitas aldeias indígenas também terão que enfrentar problemas. 

Segundo o Relatório de Impacto Ambiental (Rima) produzido para o Ibama, a obra de transposição do rio São Franscisco provocará um maior contato entre índios e operários, principalmente os da tribo Truká, que vivem na ilha de Assunção. 

A ilha, no médio São Francisco, fica na divisa entre Pernambuco e Bahia, no município de Cabrobó, local em que será construído o principal canal do projeto. 

Apesar de estar classificado como pouco significativo segundo os técnicos do Ibama, este impacto trará uma mudança para a vida da tribo, hoje restrita a dez famílias. 

Além do risco de doenças, eles deixarão de ter domínio sobre as terras de seus ancestrais, já que o governo poderá ter que desapropriar a área. 

Para compensar este impacto, o Ibama recomendou o reforço nos programas de saúde, principalmente os de combate a doenças infecto-contagiosas e sexualmente transmissíveis. 

Além disso, o Rima segure melhorias na infra-estrutura das aldeias, orientação aos operários sobre como proceder em um contato com a comunidade indígena e a clara sinalização das reservas.

Fonte: IG em 19-09 por Vladimir Netto, repórter iG em Brasília 

 
Velho Chico     Associe-se
 

Rodapé

 
   
 

 

 
->