Erosão pode  comprometer qualidade da água do Rio São Francisco

O início das obras trará a perspectiva de erosão nas margens e assoreamento dos rios 

BRASÍLIA - O desmatamento, as escavações dos canais, túneis e estradas de acesso, assim como a retirada de terra e pedras provocarão o aumento da erosão na região em que Serão construídos os canais para transpor as águas do rio São Francisco. 

Segundo o Relatório de Impacto Ambiental (Rima) preparado para o projeto, num primeiro momento serão afetadas as áreas em que houver desmatamento. 

A exposição do solo pode deixá-lo mais sujeito a ação erosiva das chuvas, principalmente em áreas de relevo movimentado. Conforme os canais forem sendo abertos, pode haver a abertura de sulcos, escorregamento de terra e desmoronamento de pedras. 

Num segundo momento, quando os canais começarem a receber a água poderão haver novos desbarrancamentos nas margens dos rios e reservatórios. Este assoreamento pode alterar a qualidade da água e a quantidade de sedimentos que estarão sendo carregados pelos canais. 

A modificação do regime fluvial e o conseguente aumento do fluxo de água dos rios para os açudes aumentará o acúmulo de argila e areia nos leitos dos rios. O açude Catanhão e os rios Porcos e Salgado serão os mais afetados porque suas bacias estão em áreas suceptíveis à erosão. 

Para evitar isso, o estudo sugere o reflorestamento das margens a monitoração da qualidade da água.

00:00 20/09

Vladimir Netto, repórter iG em Brasília 

 
Velho Chico     Associe-se
 

Rodapé