Resgate de variedades crioulas e banco de sementes comunitário em SC

Uma das atividades prioritárias dos grupos de agroecologia é a produção de sementes de variedades crioulas (variedades rústicas cultivadas e conservadas pelos agricultores de geração em geração). Sementes de milho, feijão, arroz, soja, adubos verdes e hortaliças são fundamentais para os agricultores familiares. Elas possibilitam que as famílias não precisem mais comprar sementes e favorece o intercâmbio com outros agricultores.

Neste sentido, um grupo de 16 famílias, conhecido como Encantos da Natureza de Nova Laranjeiras-SC, deu um grande passo. Organizou um banco comunitário de sementes de milho e adubos verdes produzidas sem agrotóxicos e sem insumos químicos. O próximo passo será a produção de sementes de soja orgânica, que já é cultivada por alguns integrantes do grupo e na área de produção coletiva do Encantos da Natureza.

As famílias envolvidas nas roças coletivas voltadas à produção de sementes se preocupam com a diversificação de culturas e hoje, ao invés de plantarem milho híbrido, trabalham com variedades crioulas e já desenvolveram uma variedade de milho própria. O grupo é encarregado de produzir, conservar e multiplicar as sementes. Para isto ele está testando as variedades mais adequadas à região e aos vários usos feitos pelos agricultores. Após este trabalho são selecionadas as sementes que mais se adaptaram. São escolhidas, por exemplo, as espigas mais graúdas de milho das plantas mais sadias e vigorosas e guardadas para a próxima safra.

A constituição do banco comunitário de sementes contribuiu decisivamente para o resgate de sementes crioulas e para a conservação da biodiversidade na região, além de possibilitar a redução dos custos. As famílias do grupo estão produzindo suas próprias sementes e abdicaram das variedades comerciais, o que além de representar uma redução dos gastos, confere-lhes maior autonomia.

Diversas outras iniciativas coletivas foram tomadas visando melhorar a qualidade de vida das famílias. Incentivar os agricultores familiares a abrir mão dos métodos convencionais, como o uso de sementes híbridas, adubação química, aplicação de herbicidas e optar pelo manejo agroecológico é um processo que demanda organização e conscientização. Existem inúmeras dificuldades que envolvem a conversão de uma propriedade. A falta de investimentos é um dos maiores problemas encontrados. Apesar disso, as famílias de Nova Laranjeiras não escondem a satisfação em estarem produzindo alimentos ecologicamente e terem fortalecido a organização e coesão comunitária. Nova Laranjeiras possui banco comunitário de sementes. In: Biodiversidade e Agroecologia. Fundação Rureco, Guarapuava / Paraná, março de 2001, pg.20-21.

 
Outros Manifestos     Associe-se