Guerreiros da etnia suruí participam de treinamento para fazer o inventário de carbono usando a tecnologia GOOGLE

 

Cerca de vinte guerreiros da etnia suruí, de várias aldeias da terra indígena 7 de setembro participaram do treinamento oferecido pelo IDESAM - instituto de conservação e desenvolvimento sustentável do amazonas, em parceria com a ACT Brasil. O inventário da biomassa, carbono, vai ser feito utilizando a tecnologia google. O sistema ODK - open data kit. A tecnologia android usa o sistema operacional criado pela google para a coleta de dados. O android reúne em um só aparelho o formulário de coleta, o GPS e a máquina fotográfica. Seis celulares Android foram doados pela empresa americana para a associação Metareila do povo indígena Paiter Suruí para o trabalho de medição para descobrir o potencial de carbono na terra indígena 7 de setembro. O projeto carbono suruí vem sendo desenvolvido há 10 anos pelos Suruís. Ainda não há comprador certo para o carbono Suruí. O preço oferecido ainda não é o ideal. Precisa antes fazer a validação do projeto carbono Surui. Uma reunião com o grupo Forest Trend ainda não marcada pode ajudar a definir essa questão.

O líder Almir Surui disse que o projeto carbono surui é o primeiro que está sendo desenvolvido diretamente por indígenas. "a nossa ação pode ganhar um reforço se for selecionada pelo projeto Petrobrás ambiental. Não se sabe ainda a quantidade de carbono que tem na nossa área", ressaltou Almir Surui ao destacar o trabalho que vem sendo feito na terra indígena 7 de setembro. O trabalho em conjunto com ACT e Fundação Moore pode fortalecer o projeto REDD+ do carbono surui. O dinheiro desse projeto deve ser usado para investir em projetos dentro da própria terra indígena.

Fonte: Google New em 03-11-2010


Leia Mais:



SIGA NOS

-->