Cooperativa é pioneira na neutralização de carbono



Instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1972, durante a Conferência de Estocolmo, o Dia Mundial do Meio Ambiente (5 de junho) tem o objetivo de chamar a atenção para a degradação ambiental e a importância da preservação e do uso consciente dos recursos naturais.

É uma preocupação que tem se mostrado cada vez mais presente inclusive entre empresas e instituições, como por exemplo a Unimed Cuiabá, que por meio de seu Programa de Ação Social, o PróUnim, vem fazendo a compensação de emissão de carbono com o plantio de árvores em Santo Antônio de Leverger.

A cooperativa é pioneira nesse trabalho, que vem sendo realizado desde 2010, com o objetivo de neutralizar toda a emissão de dióxido de carbono (CO2) proveniente de sua operação.

Em parceria com o Instituto Ação Verde que mantém o projeto Verde Rio, a cooperativa contribui com a preservação da mata ciliar dos rios de Mato Grosso.

Por meio do projeto foi elaborado um inventário de Emissão de Gases do Efeito Estufa (GEE) proveniente do conjunto de atividades desenvolvidas pela Unimed Cuiabá e o Instituto Ação Verde realiza o plantio das mudas e o monitoramento.

Somente em 2016, foram neutralizadas 1.548 toneladas de emissão de CO2 e recuperada uma área de 6,19 hectares (ou 69 mil metros quadrados).

A iniciativa chegou a ser finalista, ficando em segundo lugar, do Prêmio SOMOSCOOP – Melhores do Ano, realizado em novembro, em Brasília (DF), na categoria “Desenvolvimento Sustentável”.

Realizado pela Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), o prêmio teve participação recorde, com um total de 349 projetos inscritos.

Somente a categoria em que Unimed Cuiabá foi finalista recebeu 60 propostas de todo o país.

O presidente do PróUnim, André Palma, explica que a preocupação com a emissão de carbono surgiu a partir do pensamento de que a saúde das pessoas vai além dos cuidados médicos.

“A Unimed Cuiabá, como uma das maiores cooperativas do país, tinha, portanto, que assumir um compromisso pelos impactos que gerava no meio ambiente. E ninguém melhor que o PróUnim para desenvolver o trabalho pela experiência com ações voltadas à comunidade em que a cooperativa está inserida”, frisa.

A comunidade escolhida foi a de Barranco Alto, no município de Santo Antônio de Leverger, localizado a 27 km de Cuiabá, por conta da morfologia do rio, que possui muitas curvas e facilita o processo de erosão.

O desenvolvimento da região, com a construção de estradas e imóveis próximos ao rio também acelerou o processo por causa do desmatamento.

Para piorar, a extração de areia por dragas ocorreu durante muito tempo no local, justifica.

Em seis anos foram plantadas mais de 180 mil mudas, de árvores nativas da região como ingá, ipê amarelo, roxo e rosa, angico, aroeira, cajazinho, bordão de velho, entre outras.

São plantas do Cerrado, bioma da região, que foram escolhidas após um levantamento florístico para identificar as espécies de ocorrência natural.

Elas são plantadas por etapas, com avaliação dos resultados.

Para a revitalização foram utilizados índices de compensação do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC em inglês) da Organização das Nações Unidas (ONU), que é a base para o cálculo da neutralização de carbono para cada tipo de ocupação do solo.

A Unimed Cuiabá realiza um levantamento junto aos funcionários para calcular qual é a quantidade de carbono emitida anualmente, para poder fazer a compensação no próximo ano.

Fonte:Mato Grosso Mais em 05-06-2017


Leia Mais:



SIGA NOS

-->