Acordo de Paris. "Notícia é que a Europa vá pelo mesmo caminho" de Trump

Marisa Matias foi obrigada a votar contra um relatório que a própria fez. Em causa, divisões entre os países do Norte e os do Sul da Europa, e uma emenda que põe em causa legislação europeia anteriormente aprovada no que toca a emissões de gases de efeito de estufa.

A notícia de que Donald Trump iria retirar os EUA do Acordo de Paris sobre o combate às alterações climáticas não "surpreendeu em nada" Marisa Matias. Na realidade, sublinha na sua página de Facebook, "já o tinha anunciado antes".

"Notícia é que o Parlamento Europeu vá pelo mesmo caminho", refere, lembrando que foi uma das responsáveis por legislar a adaptação do Acordo de Paris à legislação europeia, tendo negociado durante meses um dos dossiers.

Acontece que, ontem, segundo a bloquista, "o Parlamento Europeu decidiu por maioria deturpar o acordo e dar todos os benefícios ao negócio". E analisa: "Que Trump avance com a sua agenda não é surpreendente, que a União Europeia vá pelo mesmo caminho é uma vergonha". Por essa mesma razão, explicou, acabou por votar contra o seu próprio relatório ('Inclusão das emissões e remoções de gases com efeito de estufa resultantes das atividades relacionadas com o uso do solo, a alteração do uso do solo e as florestas')."Estamos todos a perder. Não podemos baixar os braços", assim termina.

Na página Esquerda.net, o partido explica que durante as reuniões preparatórias do documento rapidamente se assistiu à divisão entre deputados dos países do Sul, entre os quais Marisa Matias - autora do relatório -, por um lado, e os deputados nórdicos e os defensores da grande indústria florestal e do agro-negócio, por outro.

Essas divergências resultaram na apresentação de emendas alternativas relativamente aos mecanismos de contabilização das emissões. O relatório foi votado, tendo sido aprovada a emenda defendida pelos lobies da Finlândia, da Suécia, dos grandes produtores florestais com o apoio dos deputados do PPE, com excepção da relatora sombra - a deputada espanhola Pilar Ayuso, dos deputados do ALDE e de uma parte dos deputados do S&D.

Tal emenda, salientam os bloquistas, põe em causa legislação europeia anteriormente aprovada, nomeadamente a relativa à decisão de Partilha de esforços (DPE) que define os objetivos vinculativos anuais em matéria de emissão de gases com efeito de estufa para os países da UE para o período de 2013-2020.

Fonte:Noticias ao Minutos por Melissa Lopes em 01-06-2017


Leia Mais:



Rede de Agricultura Sustentável
É um serviço de Cristiano Gomes e L&C Soluções Socioambientais

Siga-nos Twiiter rss Facebook Google+