Cortina desenvolvida em Londres é capaz de filtrar CO2 da atmosfera

 

Tecnologia utiliza microalgas e é capaz de armazenar até um quilo de gás poluente por dia
A produção de bioprodutos em todo o mundo vem modificando o cenário da sustentabilidade no mundo. Aos poucos empresas e instituições vem tirando de resíduos oportunidades de negócios com a criação de produtos sustentáveis com base na preservação do meio ambiente e diminuição na emissão de gases poluentes na atmosfera.

Um exemplo deste novo mercado está uma cortina desenvolvida por uma empresa de arquitetura e urbanismo de Londres, a qual é capaz de filtrar o ar e atenuar os impactos dos gases de efeito estufa na atmosfera. Batizada de “Photo.Synth.Etica”, a cortina foi desenvolvida a partir de uma parceria entre o escritório de arquitetura ecoLogicStudio e a Climate – KIC, a qual é uma das iniciativas lançadas pela União Europeia para diminuir as ações do aquecimento global.

O bioproduto já está em fase de teste e foi instalado em um castelo em Dublin, na Irlanda. De acordo com os desenvolvedores a cortina está sendo capaz de armazenar até um quilo de CO2 por dia, o que equivale a capacidade de fixação de 20 árvores.

De acordo com a ecoLogicStudio a cortina funciona como um fotobiorreator, o qual é composto por um compartimento de bioplástico projetado e desenvolvido para alimentar microalgas durante o dia. O processo de filtragem acontece pela introdução do ar na parte posterior da cortina fazendo com que desta forma o ar circule pelas microalgas vivas e os gases poluentes sejam capturados pelas mesmas e liberem apenas oxigênio.

Fonte: Portal Biomassa BR por Thayssen Carvalho

Etiquetas (Categorias - tags)

Leia Mais: