Biodiesel: Brasil tem muito potencial

Produção a partir de resíduos industriais é viável, mas requer mais pesquisa e investimentos

A produção de biodiesel a partir de resíduos industriais. Esse foi o tema da palestra da professora e pesquisadora da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Clarissa Dalla Rosa, na tarde de sábado (10), no Salão da Inovação na Frinape 2018. 

Conforme Clarissa, é importante produzir biodiesel a partir de resíduos industriais porque hoje a principal matéria-prima para produção de biodiesel é o óleo de soja, e a soja é uma commodity, amplamente utilizada e comercializada. “Para poder ser mais competitivo na questão de preço, a ideia é trazer um ou vários resíduos, mas que possam ter um custo menor. Também minimizando o impacto de tratamento ambiental, e ainda colocando o resíduo para geração de energia”, explica. 

Clarissa ressalta que para isso seriam utilizados os resíduos de frigoríficos e do próprio processo produtivo do biodiesel. “A gente já utiliza outras matérias-primas alternativas como o sebo, gordura de frango, gorduras de origem animal”, observa.

A pesquisadora ressalta que já tem trabalhos realizados pela UFFS que apontam a potencialidade de uso da produção de biodiesel a partir de resíduos industrias. “No entanto, ainda tem muitos desafios como otimizar processos, deixar esse biodiesel da forma mais adequada para que ele possa ser comercializado dentro das normas da Agência Nacional do Petróleo”, comenta. 

Conforme Clarissa, a ideia de otimização é passar dos 98% de conversão, isto é, “para cada 100 de resíduo que entra, 98 tem que se transformar em biodiesel”.

Ela salienta que esse processo é viável, mas tem muitos desafios, precisa de mais investimentos e estudos. “Temos um potencial grande, principalmente no Brasil, para utilização desses resíduos para geração de energia”, conclui. 

Fonte: TV Bom dia em 14-11-2018

Leia Mais:

SIGA NOS