Mercado livre de energia defende a geração e comercialização de energia elétrica doméstica

Autoprodução de energia é opção para consumidores que buscam economia

Em função da falta das chuvas e baixa nos reservatórios, as contas de luz dos consumidores têm sido impactadas negativamente. Desde junho tem sido cobrada a tarifa mais alta – bandeira vermelha no patamar 2. Por conta desse cenário, o mercado livre de energia aponta como solução a microgeração e minigeração, permitindo o comércio do excedente de energia elétrica. “Essa medida, além de reduzir custos, fortalecer e aliviar o sistema de distribuição, também torna consumidores industriais, comerciais, residenciais, e de demais setores mais competitivos, como ocorre com os que estão inseridos no ambiente livre”, afirma Walfrido Avila, presidente da Tradener.

Hoje, mais de 51 mil unidades consumidoras são beneficiadas com a autoprodução de energia, segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) que desde 2012 estabelece as condições gerais para a conexão à rede da microgeração (potência instalada menor que 75 kW) e minigeração (potência instalada entre 75 kW e 5 MW) distribuída no Brasil.

“Quando a geração é maior que o consumo, o excedente é injetado na rede elétrica e disponibiliza créditos de energia, os quais são equivalentes ao valor da eletricidade da rede. Quando o consumidor tem uma geração menor do que precisa, utiliza a energia da rede elétrica”, explica Walfrido Avila.

Sobre a Tradener: É uma das maiores comercializadoras independentes de energia elétrica e gás natural do país, com foco nos consumidores livres de energia elétrica e produtores independentes. Pioneira no segmento desde 1998, foi a primeira empresa do Brasil autorizada pela Aneel a comercializar energia com consumidores livres e geradores no ambiente de contratação livre. Com investimentos em geração renovável, a companhia está no ranking das maiores e melhores empresas do Brasil. Site: www.tradener.com.br

FonteEnvolverde em 03/10/2018

Etiquetas (Categorias - tags)

Leia Mais:



SIGA-NOS

TwiiterfeedFacebook"Whatsapp 88 9700 9062"pinterestlinkedinInstagramYoutube