Potencial Utilitário da Vegetação Lenhosa em Área de Caatinga no Estado de Pernambuco, Nordeste do Brasil.

 

Dissertação Defendida por CRISTIANO CARDOSO GOMES,

Orientador: Ulysses Paulino de Albuquerque; Co-orientador: Marcelo Alves Ramos.

RESUMO

Este estudo teve como objetivo a análise da relação entre a população humana situada no Assentamento Olho d´Água do Félix, Caruaru (PE) e as espécies florestais conhecidas e utilizadas, de forma a testar a hipótese de aparência ecológica. Foi realizado um inventário da vegetação arbórea através da de parcelas amostrais de 400 m² nos fragmentos florestais existentes no Assentamento Olho d´Água do Félix, Caruaru, Pernambuco, Nordeste do Brasil. Os dados obtidos foram utilizados para calcular densidade, dominância, frequência e valor de importância. Comparou-se estes resultados com os dados etnobotânicos objetivando testar a hipótese de que a disponibilidade de um recurso (aparência) relaciona-se com a sua importância para a população (determinada pelo valor de uso). Foram entrevistados 27 informantes-chaves que identificou as espécies arbóreas nativas conhecidas e seus usos, estas foram apresentadas ao entrevistador através de turnê-guiada. Vinte e sete espécies foram citadas e classificadas em nove categorias: alimentação humana, alimentação animal, combustível, construção, tecnologia, medicinal, veterinário, serviço ambiental e outros. As citações para usos não madeireiros da vegetação concentram o maior número de espécies, valor que foi influenciado pelas categorias alimentação animal e alimentação humana. Foi indicado o uso para as seguintes partes das plantas: Entrecasca, flor, folha, fruto, látex, madeira, planta inteira, raiz e semente. O uso da madeira teve 74,8% das citações. As famílias com maior valor de uso foram Rhamnaceae e Anacardiaceae, já as famílias com maior número de espécies foram Fabaceae (9 spp.) e Euphorbiaceae (5 spp.). As espécies com maior valor de importância foram Croton blanchetianus Baill., Acacia farnesiana (L.) Willd. e Commiphora leptophloeos. As espécies de maior Valor de uso foram Mimosa tenuiflora Benth, Ziziphus joazeiro Mart. e Croton blanchetianus Baill. As categorias combustível, construção e medicinal foram as mais abundantes Verificou-se que as espécies com menor número de partes da planta utilizadas tiveram menor valor de uso, e as que tiveram maior número de partes tiveram maior chance de terem maior número de usos. Verificou-se que o índice combinado (VU x VI) tem correlação positiva com a densidade relativa, frequência relativa, valor de importância e dominância relativa. Foi significativa a correlação na ordenação das espécies entre o valor de uso e frequência relativa (r = 0,3260, p< 0,01), e entre o valor de uso e a dominância relativa (r = 0,3987, p< 0,05). As espécies com menor número de partes utilizadas tiveram menor valor de uso, e as que tiveram maior número de partes tiveram maior chance de terem maior número de usos. A quantidade de usos, partes utilizadas e riqueza, demostra o potencial utilitário da caatinga para as comunidades, e que esse conhecimento ecológico tradicional pode servir para prospecção de novos produtos e novos usos para produtos madeireiros e não madeireiros.

Palavras-chave: aparência ecológica, valor de uso, caatinga, etnobotânica, fitossociologia.

Ver dissertação completa

 


Leia Mais:




SIGA NOS