RESUMO

BARROS, Aliete Villacorta de, Universidade Federal Rural da Amazônia, março de 2005.

Produção de biodiesel a partir de sistemas agroflorestais em Vazante, Minas Gerais.

Orientador: Laércio Couto. Co-orientador: Jorge Gazel Yared.

O presente estudo teve como objetivo avaliar aspectos técnicos e econômicos de sistemas agroflorestais com eucalipto, como alternativa de uso da terra favorável tanto à formação de biomassa florestal para produção de energia quanto à produção de matéria-prima (óleo bruto) para obtenção de biodiesel a partir de culturas anuais como soja e girassol na região de cerrado em Minas Gerais. Os dados para a pesquisa foram oriundos da empresa Votorantim Metais Agro, situada no município de Vazante, noroeste do estado de Minas Gerais, a qual dispõe de uma Unidade de Sistemas Agroflorestais. Com base nesses dados, foram simulados e estudados cenários de SAF, formados a partir do eucalipto como componente florestal, variando-se seu ciclo de corte e culturas agrícolas como arroz, soja e girassol e capim para engorda de animais como componentes agrícolas e pastoril. Foram calculados os custos dos fatores de produção, receitas resultantes e apresentados seus fluxos de caixa atualizados às taxas de juros de 12% a.a e 18% a.a. Através de critérios econômicos como Valor Presente Líquido (VPL), Razão Benefício/Custo (RB/C), Benefício Custo Periódico Equivalente (B(C)PE),Taxa Interna de Retorno (TIR) e Valor Esperado da Terra (VET), foram avaliados os retornos financeiros dos referidos SAF. Os resultados indicaram que os SAF estudados apresentaram custos e receitas crescentes proporcionais à sua duração ou rotação do eucalipto (3 a 7 anos) e em função de seus componentes (arroz, soja e girassol e animal no pasto), resultando em fluxos de caixa com saldos positivos para o SAF 1, SAF 2 e SAF 7, atualizados às taxas de juros de 12% a.a. e 18% a.a.; do SAF 3 ao SAF 6, mais o SAF 8, seus saldos foram positivos apenas à taxa de 12% a.a., enquanto o SAF 9 e SAF 10 apresentaram saldos negativos nas duas taxas de juros estudadas. Com base nos referidos critérios econômicos, obteve-se VPL positivos nas mesmas proporções referidas para os fluxos de caixa. As TIR foram maiores que a taxa mínima de atratividade apenas no SAF 1, SAF 2 e SAF 7 à taxa de 12% a.a.. As razões B/C foram maiores que a unidade, do SAF 1 ao SAF 8 à 12%a.a. e à 18%a.a. apenas para o SAF 1, SAF 2 e SAF 7. Os valores para B(C)PE e VET se comportaram exatamente como VPL. Conclui-se dessa forma, que o SAF 1, SAF 2 e SAF 7 são considerados economicamente viáveis, se considerada a produção de grãos (soja e girassol). Quanto ao componente florestal (eucalipto) para produção de biomassa florestal para energia, o mesmo mostrou-se eficaz em todos os SAF estudados. Se conduzidos para produção de biodiesel, sinalizaram viabilidade pelas amortizações dos custos dos componentes arroz e madeira o SAF 3, SAF 4 e SAF 8. Conclui-se dessa forma, que principalmente esses podem ser indicados como sistemas de produção viáveis não só para produção de energia e grãos para alimento, mas também para produção de óleo para biodiesel, garantindo o retorno financeiro do investimento.

Ver tese completa

Esta tese faz Citação para www.agrisustentavel.com (Cita Agrisustentavel.com - 'Cita Agrisustentavel.com')

Banco

Orgânico

 

Nó do Ramo     Associe-se

rodapé