Potencial Utilitário da Vegetação Lenhosa em Área de Caatinga no Estado de Pernambuco, Nordeste do Brasil

Potencial Utilitário da Vegetação Lenhosa em Área de Caatinga no Estado de Pernambuco, Nordeste do Brasil. 2013.

Dissertação Defendida por CRISTIANO CARDOSO GOMES,

Orientador: Ulysses Paulino de Albuquerque; Co-orientador: Marcelo Alves Ramos.

RESUMO

Este estudo teve como objetivo a análise da relação entre a população humana situada no Assentamento Olho d´Água do Félix, Caruaru (PE) e as espécies florestais conhecidas e utilizadas, de forma a testar a hipótese de aparência ecológica. Foi realizado um inventário da vegetação arbórea através da de parcelas amostrais de 400 m² nos fragmentos florestais existentes no Assentamento Olho d´Água do Félix, Caruaru, Pernambuco, Nordeste do Brasil. Os dados obtidos foram utilizados para calcular densidade, dominância, frequência e valor de importância. Comparou-se estes resultados com os dados etnobotânicos objetivando testar a hipótese de que a disponibilidade de um recurso (aparência) relaciona-se com a sua importância para a população (determinada pelo valor de uso). Foram entrevistados 27 informantes-chaves que identificou as espécies arbóreas nativas conhecidas e seus usos, estas foram apresentadas ao entrevistador através de turnê-guiada. Vinte e sete espécies foram citadas e classificadas em nove categorias: alimentação humana, alimentação animal, combustível, construção, tecnologia, medicinal, veterinário, serviço ambiental e outros. As citações para usos não madeireiros da vegetação concentram o maior número de espécies, valor que foi influenciado pelas categorias alimentação animal e alimentação humana. Foi indicado o uso para as seguintes partes das plantas: Entrecasca, flor, folha, fruto, látex, madeira, planta inteira, raiz e semente. O uso da madeira teve 74,8% das citações. As famílias com maior valor de uso foram Rhamnaceae e Anacardiaceae, já as famílias com maior número de espécies foram Fabaceae (9 spp.) e Euphorbiaceae (5 spp.). As espécies com maior valor de importância foram Croton blanchetianus Baill., Acacia farnesiana (L.) Willd. e Commiphora leptophloeos. As espécies de maior Valor de uso foram Mimosa tenuiflora Benth, Ziziphus joazeiro Mart. e Croton blanchetianus Baill. As categorias combustível, construção e medicinal foram as mais abundantes Verificou-se que as espécies com menor número de partes da planta utilizadas tiveram menor valor de uso, e as que tiveram maior número de partes tiveram maior chance de terem maior número de usos. Verificou-se que o índice combinado (VU x VI) tem correlação positiva com a densidade relativa, frequência relativa, valor de importância e dominância relativa. Foi significativa a correlação na ordenação das espécies entre o valor de uso e frequência relativa (r = 0,3260, p< 0,01), e entre o valor de uso e a dominância relativa (r = 0,3987, p< 0,05). As espécies com menor número de partes utilizadas tiveram menor valor de uso, e as que tiveram maior número de partes tiveram maior chance de terem maior número de usos. A quantidade de usos, partes utilizadas e riqueza, demostra o potencial utilitário da caatinga para as comunidades, e que esse conhecimento ecológico tradicional pode servir para prospecção de novos produtos e novos usos para produtos madeireiros e não madeireiros.

Palavras-chave: aparência ecológica, valor de uso, caatinga, etnobotânica, fitossociologia.

Ver dissertação completa

 

Nó do Ramo Associe-se