Análise sensorial de cachaça produzida em manejo orgânico e convencional

João Henrique do Nascimento e Silva
Marta Regina Verruma-Bernardi
Luiz Antônio Correa Margarido
Alessandra Lopes de Oliveira

DOI:: https://doi.org/10.19084/rca.17426
Resumo

A cachaça, produzida a partir da cana-de-açúcar, é considerada uma bebida genuinamente brasileira. A melhoria na qualidade da cachaça contribuiu para maior aceitação no mercado e maior volume de produção e exportação. O objetivo deste estudo foi avaliar se as variedades (RB 867515, RB 966928 e RB 855453) e manejos de cultivos da cana-de-açúcar (sem adubação, orgânico e convencional) influenciam nas características sensoriais da cachaça. Utilizou-se a Análise Descritiva por Ordenação (ADO) e a aceitação. Os resultados mostraram a existência de diferenciação sensorial entre as bebidas de diferentes variedades e manejos. Estes, por sua vez, influenciaram os atributos sensoriais, avaliados por meio da ADO. Estes, por sua vez, influenciaram os atributos sensoriais. Na opinião dos avaliadores durante a análise sensorial de aceitação, a cor não foi fator de diferenciação entre as bebidas, o aroma, sabor, corpo e impressão global podem ter influência do na aceitação das cachaças produzidas a partir das variedades RB 855453 e RB 867515, na modalidade de manejo orgânico.

 

Publicado
2019-05-11
Edição
vol. 42 n.º 2 (2019)
Secção
Geral
17426 - manuscrito



Leia Mais:

SIGA-NOS

TwiiterfeedFacebook"Whatsapp 88 9700 9062"InstagrampinterestlinkedinYoutube