Teor de Nitrato em Alfaces de Cultivo Orgânico e Convencional Comercializados no Sertão Central do Ceará



Dalyla D’Ávila Cavalcante Araújo, Lorena de Sousa Cunha, Eugênia da Silva, Isabel Cristina Oliveira de Morais

Resumo

Introdução: Os vegetais constituem uma parte vital da dieta humana, sendo a principal fonte de minerais, vitaminas, fibras dietéticas e fitoquímicos. Uma das principais fontes de nitrato para o organismo humano é representada pelas hortaliças, que são responsáveis por cerca de 72 a 94% da ingestão diária. Dependendo da quantidade ingerida, este íon pode transformar-se em nitrito e reagir com aminas formando compostos potencialmente cancerígenos e causar metemoglobinemia. Objetivo: O objetivo do presente trabalho foi determinar o teor de nitrato em alfaces de cultivo orgânico e convencional comercializadas no Sertão Central do Ceará usando metodologia espectrofotométrica. Resultados: As amostras com concentrações mais elevadas para a alface de cultivo convencional foram dos municípios de Banabuiú (35.724 ppm) e Quixeramobim (22.900 ppm). Enquanto os que apresentaram concentrações mais baixas foram Quixadá (14.381,2 ppm) e Morada Nova (16.190,2 ppm). Nos vegetais orgânicos as concentrações variaram entre 1.488,5 ppm (Pedra Branca) a 9.961,5ppm (Limoeiro). Conclusão: Os vegetais apresentaram teores de nitrato superiores no cultivo convencional em relação ao orgânico. Os resultados indicam que a análise de alfaces de cultivo convencional contém quantidades significativas de nitrato em sua composição, mas ainda continuam no limite aceitável para ingestão no corpo humano. O consumo adulto diário de 100 g da alface estudada não excedeu a ingestão diária aceitável de nitratos

Texto completo:
PDF

Fonte:Encontro de Extenção Docência e Iníciação Científica - v. 4, n. 1 (2017) - ISSN: 2446-6042

Leia Mais:

SIGA-NOS

TwiiterfeedFacebook"Whatsapp 88 9700 9062"InstagrampinterestlinkedinYoutube