Bibliografia em Agricultura Sustentável (BAS)

Buscamos nesta página fazer algumas sugestões de publicações que podem contribuir na discussão e compreensão sobre agricultura sustentável.

Livros Em Agricultura sustentável ou correlatos

marcadorAgroecologia: a dinâmica produtiva da agricultura sustentável, de Altiere, M, Editora da Universidade Avenida João Pessoa, 415 – Porto Alegre, RS. Fone/fax: (051)-2248821, 3164082 e 3164090. E-mail:  [email protected]

marcadorAgricultura  Sustentável, de Eduardo Ehlers  http://www.uesb.br/adusb/textos/sustentavel2.html

marcadorAgroecologia, de Stephen R. Gliessman, na série "Estudos Rurais" da editora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.Editora da Universidade Avenida João Pessoa, 415 - Porto Alegre, RS.Fone/fax: (051)-2248821, 3164082 e 3164090. E-mail: [email protected]

marcadorIntrodução a Agricultura Orgânica – Normas e Técnicas de Cultivo – de Roberto Penteado C.P. 28 CEP: 13.001-970, Campinas (SP), pelo fax: 19-232-1562, [email protected]

marcadorVananda Shiva sobre os impactos da revolução verde no Punjab -Índia - "The violence of the green revolution" - Londres, Zed Book.

marcadorReconstruindo a agricultura, organizado pelos agrônomos Jalcione de Almeida e Zander Navarro, Editora da Universidade Avenida João Pessoa, 415 - Porto Alegre, RS. Fone/fax: (051)-2248821, 3164082 e 3164090.   E-mail: [email protected]

marcadorA Farinha de Rocha MB-4 e o Solo, organizado por e Solon Barrozo (Geólogo) onde comenta das vantagens da Farinha de rocha para a agricultura, para fazer donwload.

marcadorQueridos Animais, da L&PM Editores. Méd. Vet. Angela Escosteguy

marcadorO Papel da Biodiversidade no Manejo de Pragas livro de Evandro N, de Silva, N. E, Holos Editora.

Informações Sobre a publicação: Em novembro de 1999 realizou-se na UNICAMP o I Workshop sobre Agroecologia e Desenvolvimento Rural Sustentável. Participaram deste evento diversos especialistas convidados, bem como estudantes e profissionais interessados no tema. Várias conferências e um Grupo de Trabalho abordaram a aplicação de teorias ecológicas no manejo de insetos pragas. Entre os conferencistas convidados estavam os Professores Miguel Altieri e Clara Nicholls da Universidade da California, Berkeley. Ambos têm diversos artigos e livros publicados sobre agroecologia, desenvolvimento rural sustentável e manejo de pragas através da diversificação de hábitat. Na ocasião, tivemos a oportunidade de discutir a lacuna existente na literatura em português sobre diversificação de hábitats para o manejo de pragas em agroecossistemas e decidimos preparar um livro em português abordando o tema. Após três anos, estamos disponibilizando aos entomólogos brasileiros, através da Holos Editora, o livro "O Papel da Biodiversidade no Manejo de Pragas". Esta obra pretende ser uma revisão de literatura e uma síntese do estado da arte da pesquisa sobre diversificação de hábitat como estratégia para o manejo de pragas e para a sustentabilidade de agroecossistemas. É uma obra informativa sobre a imensa quantidade de pesquisas e publicações sobre o tema (ainda que predominantemente em regiões temperadas). Ao mesmo tempo, esperamos que este livro seja uma fonte de inspiração para reflexões sobre como esse conhecimento pode ser importante para a busca da sustentabilidade da agricultura tropical e especialmente para o manejo sustentável de insetos pragas.

Segue abaixo um link para o prefácio do livro e compra do mesmo através do Web Site da Holos Editora, bem como o Sumário do livro.

SUMÁRIO

Prefácio da Profa. Maria Alice Garcia
Prólogo
Agradecimentos
Introdução
Capítulo 1. A Biodiversidade e Seu Papel Ecológico na Agricultura
Capítulo 2. Agroecologia e Manejo de Pragas
Agroecologia e formas de manejo da biodiversidade em sistemas agrícolas
Controle biológico em sistemas agrícolas diversificados
A importância do conceito de seletividade no uso da biodiversidade
Capítulo 3. As Bases Ecológicas do Manejo de Pragas em Agroecossistemas
Diversificados
Teoria ecológica
Resistência de associação
Hipótese dos inimigos naturais
Concentração de recursos
"Visibilidade" das plantas
Limitações da teoria
Capítulo 4. Manipulação de Insetos Através do Manejo de Plantas Invasoras
Plantas invasoras como fontes de insetos pragas em agroecossistemas
O Papel das plantas invasoras na ecologia dos inimigos naturais
Dinâmica de insetos em agroecossistemas diversificados pela presença de plantas invasoras
Isolando os efeitos ecológicos da diversidade de invasoras
Considerações sobre o manejo de associações culturas-invasoras
Capítulo 5. O Papel das Policulturas no Manejo de Pragas
Padrões de abundância de insetos em policulturas
O papel da estrutura do hábitat
O papel dos inimigos naturais
Culturas de cobertura: um tipo especial de consórcio
Metodologias para estudar a dinâmica de insetos em policulturas
Considerações sobre manejo de policulturas
Capítulo 6. Ecologia de Insetos em Pomares sob Manejo de Culturas de Cobertura
Ecologia de ácaros em pomares sob manejo de culturas de cobertura
Capítulo 7. A Influência da Vegetação de Entorno Sobre as Populações de Insetos em Áreas Cultivadas
Biodiversidade da paisagem e comunidades de insetos benéficos em agroecossistemas
O papel de cercas vivas e áreas de floresta na ocorrência de pragas
Abundância e diversidade de inimigos naturais em cercas vivas e áreas de floresta no entorno de áreas cultivadas
Faixas de vegetação nas margens dos cultivos e ocorrência de insetos pragas
Abundância e diversidade de inimigos naturais em faixas de vegetação nas margens de áreas cultivadas
Corredores biológicos: potencial inexplorado?
Ecologia de paisagens: uma nova abordagem para o controle de pragas através do manejo de hábitats
Manipulando a vegetação de áreas adjacentes aos cultivos
Capítulo 8. Redesenhando Agroecossistemas para um Manejo Ecológico de Pragas: Desafios e Perspectivas
Agricultura sustentável
Requisitos dos agroecossistemas sustentáveis
Implementação do manejo de pragas através do manejo da biodiversidade
Etapas da transição ao manejo agroecológico
Implementação de novos métodos de controle de pragas por agricultores
Pesquisa e extensão rural para a adoção de princípios ecológicos no manejo de pragas:
os desafios de um novo paradigma
Capítulo 9. Biodiversidade e Manejo de Pragas: Perspectivas
Referências Bibliográficas
Índice Remissivo Geral
Índice Taxonômico de Vírus, Bactérias e Fungos
Índice Taxonômico de Plantas
Índice Taxonômico de Artrópodes


Maiores Informações

Evandro N. Silva
PhD Student
School of Natural Resources and Environment
The University of Michigan
3531 Dana Building
Ann Arbor, Michigan 48109-1115
Phone (734) 332-1745 (Home)
(734) 936-1522 (Office)

marcador"Alimentos Orgânicos: ampliando conceitos de saúde humana, ambiental e social" que pode ser encontrado na editora Unisul ([email protected]). 
Alimentos orgânicos estão na mídia. Os chefes de culinária os recomendam porque são mais saborosos e têm melhor aparência. São ecologicamente corretos e livres de contaminantes químicos: agrotóxicos, resíduos de drogas veterinárias, hormônios e aditivos sintéticos. Reportagens sobre o sistema orgânico de produção de alimentos aparecem com freqüência na imprensa e as discussões sobre o tema crescem nas instituições públicas, nas ONGs, nas escolas e nas universidades. Esses alimentos ganham cada vez mais espaço nas gôndolas de supermercados, em feiras e lojas especializadas sem que se conheça o amplo conceito de saúde e qualidade de vida que está por trás do sistema orgânico de produção.
Além desse desconhecimento inúmeras questões permeiam as discussões sobre os alimentos orgânicos e a chamada“alimentação natural”:

O alimento orgânico é realmente melhor para nossa saúde?
Eles são realmente isentos de substâncias tóxicas?
Porque eles custam mais caro?
Existem carne e leite orgânico?
Alimentos integrais são orgânicos?
Orgânico é igual a hidropônico?
Alimentação macrobiótica é orgânica?
Soja é um alimento milagroso?
Quem come alimentos orgânicos é vegetariano?

O livro se propõe a discutir essas questões e a difundir o potencial que a Agricultura Orgânica tem de se tornar um instrumento de defesa do meio ambiente, de revitalização da agricultura familiar e de promoção da saúde humana e da qualidade de vida do planeta.

Ver capa

marcadorTransgênicos: sementes da discórdia

Ed. Senac. José Eli da Veiga (Org.) Autores: Antonio Marcio Buainain e José Maria da Silveira (Unicamp), Gabriel B. Fernandes (AS-PTA) e Ricardo Abramovay (FEA/USP). Lançamento em São Paulo, dia 26/11, às 19:30h, no Martin Fierro (Rua Aspicuelta, 683, Vila Madalena)

R$35,00 nas livrarias

RESUMO Chega de manipulação (Gabriel B. Fernandes)

Apesar da central importância que o tema dos transgênicos representa para a sociedade, já que lida a um só tempo com agricultura, meio ambiente, alimentação, saúde e consumo, muitas vezes a questão é colocada de forma simplista: ser contra ou a favor. Promovida por boa parte da mídia, essa polarização mais tende a firmar pontos de vista dogmáticos do que a informar e promover um debate de conteúdo sobre o papel da ciência e das novas tecnologias na sociedade contemporânea.

Dessa forma, além de despolitizado o debate fica desigual, pois a transgenia acaba assumindo o papel de sinônimo de biotecnologia, esta o de sinônimo de ciência, e esta, por sua vez, como algo que conduz a sociedade necessariamente ao desenvolvimento. Visto assim de forma ideologizada, sobra aos críticos dos transgênicos o rótulo de serem contra tudo . Novamente, para prejuízo do debate, acaba-se por criar um certo preconceito ou mesmo suspeição contra os atores, sejam eles da sociedade civil ou da academia, que foram na verdade os responsáveis por tornar público o tema dos transgênicos.

Como será discutido neste capítulo, a promoção dos transgênicos vem sendo feita com base na negação de um conjunto crescente de evidências que questionam não só a segurança desses organismos como também sua base conceitual. Esse paradoxal bloqueio científico tem como objetivo proteger o mercado dos transgênicos que vem, com seu mote de defesa da ciência e com novos atores em cena, moldando a seu favor marcos legais e institucionais no campo da propriedade intelectual e da avaliação de risco destes organismos. O caso da liberação do milho transgênico no Brasil é apresentado para ilustrar a operacionalização desse movimento.

Por fim, discute-se o problema por ora insolúvel da corrente contaminação de sementes e lavouras de agricultores que não querem plantar transgênicos e o que isso representa para a sustentabilidade do desenvolvimento rural quando contrastado com o crescente processo de transição da agricultura com base no enfoque da agroecologia.

marcador Ebooks - Livros Eletronicos disponibilizados

Faça sua sugestão usando o formulário fale conosco teremos todo o prazer em divulgar.

[Banco de Dados]

Orgânico

Página Anterior     Associe-se
Próximo Nó

Rodapé