Aplicativo recebe 371 denúncias de crimes ambientais no AM em um ano

Relatório aponta que categorias líderes de denúncias foram "queimadas", "poluição sonora" e "descarte irregular de resíduos". Na capital, Zona Norte registrou maior número de reclamações

De 2016 a 2017, a população amazonense formalizou 371 denúncias de crimes ambientais utilizando o aplicativo “Meu Ambiente”, ferramenta criada há dois anos pelo Instituto Amazônia + (IA+) para que o cidadão pudesse realizar suas denúncias de maneira rápida e gratuita e também acompanhar o andamento das reclamações nos órgãos ambientais.

O relatório anual do instituto aponta que as categorias líderes do ranking de denúncias foram “queimadas”, “poluição sonora”, “descarte irregular de resíduos”, “invasão de áreas protegidas” e “desmatamento”.

Na capital do Estado, os moradores da Zona Norte foram os responsáveis pelo registro do maior número de reclamações, com 133 queixas. Os moradores dos bairros Cidade Nova, Nova Cidade e Flores foram os mais ativos no uso do aplicativo. Só a Cidade Nova totalizou 45 denúncias, enquanto o Nova Cidade e o bairro de Flores atingiram 33 e 27 casos formalizados, respectivamente.

Ainda no quesito geográfico, a vice-liderança no somatório de denúncias ficou com a zona Centro-Sul, responsável por 60 registros, seguida da zona Leste, com 40.

Além da população manauara, habitantes de nove municípios do interior do Amazonas também começaram a utilizar o “Meu Ambiente”. O balanço anual do aplicativo mostra que a plataforma foi acessada por cidadãos de Iranduba, Manacapuru, Itacoatiara, Autazes, Careiro, Humaitá, Tapauá, Beruri e Manaquiri.

“Certamente foi um tempo de muitos desafios e aprendizagem e por isso estamos preparados para sair da fase de validação e viver a fase de consolidação desse aplicativo como ferramenta popular no Amazonas para denúncia de crimes ambientais”, afirma a diretora executiva do IA+, Cintia Fernandes.

Como funciona

Disponível para os sistemas iOS e Android, a segunda versão do “Meu Ambiente” permite o envio da denúncia via celular (ou outro dispositivo móvel), acompanhada de fotos, vídeos e da localização precisa. O registro pode ser realizado de maneira anônima, caso o denunciante prefira manter sua privacidade. As informações são enviadas aos órgãos competentes e cada processo é acompanhado pelo IA+ e pelo Ministério Público Federal (MPF-AM).

“Pudemos contemplar um crescimento de denúncias ao longo dos dois primeiros anos. O aplicativo possui uma média de 19 denúncias por mês, o que não representa um infortúnio aos órgãos ambientais que temem o excesso de demanda, mas que pode representar uma maneira substituta de realizar denúncias de crimes ambientais ao longo do tempo”, explica a dirigente do Instituto.

Adesão

No primeiro semestre de 2016, quando a ferramenta chegou à Web, a equipe do Instituto Amazônia+ apresentou aos órgãos ambientais do município e do Estado uma proposta de Termo de Cooperação Técnica para o uso gratuito da plataforma nas suas rotinas de trabalho e, consequentemente, o recebimento automático das denúncias de sua competência.

Até o momento, assinaram o termo o Ministério Público Federal, a Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema) e o Batalhão de Incêndios Florestais do Corpo de Bombeiros. A Secretaria Municipal de Limpeza Pública de Manaus (Semulsp) se propôs a usar a ferramenta em caráter experimental.  A parceria com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) e o Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam) se dá por meio de apresentação de respostas às denúncias quando o IA+ as solicita. 

Quanto aos órgãos que não aceitaram o termo de cooperação, a equipe do IA+ envia de forma manual as denúncias que chegam até a plataforma, sendo este recebimento protocolado no órgão.

Para acompanhar os resultados dessa iniciativa, basta acessar www.appmeuambiente.com.br e baixar o aplicativo Meu Ambiente nas lojas App Store e Google Play.

Fonte:Acritica.com em 27/02/2018

 


Leia Mais:



SIGA NOS

-->